Bibia online

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Cristais


PROPRIEDADES CURATIVAS DOS CRISTAIS





Aborto, prevenção: Rubi Envenenamento: Ágata, diamante, jacinto, malaquita Menstruação, problemas: Âmbar
Alergia: Zircônia (jacinto) Epilepsia: jaspe Nariz, sangramento: Cornalina, magnetita
Asma: Âmbar, crisoberilo, olho-de-gato, olho-de-tigre, malaquita Espasmos: Cornalina, cristal de rocha, rubi Nervosismo: Safira, topázio, turmalina
Asma: Âmbar, crisoberilo, olho-de-gato, olho-de-tigre, malaquita Esquecimento: Esmeralda Nevralgia: Magnetita, cornalina
Bexiga, problemas: Coral, heliotrópio, jaspe, jade Estômago: Berilo, heliotrópio, jaspe Olfato, perda de: Jaspe
Biliosidade: jaspe Febre: Cornalina, rubi Olhos lacrimejantes: Ônix
Boca, problemas: Berilo Feridas: Cornalina Ouvido, problemas: Âmbar, ônix
Bronquite: Pirita, quartzo rutilado Fígado: Água-marinha, berilo, jaspe, topázio Paladar, perda de: Topázio
Cabelo, problemas: Ágata, aventurina, lápis-lazúli, ônix Fratura: Magnetita Parto: Ágata, crisópraso, heliotrópio, jacinto, jade
Cólicas: Coral Frio, para diminuir: Topázio Perna, cãibras: Hematita
Consumpção pulmonar: Pedra-da-lua Garganta: Berilo Queda, prevenção: Turmalina
Coqueluche: Coral Glândulas, inchaço: Água-marinha Queimaduras: Ametista
Coração: Ágata, berilo, crisólita, granada, ônix Gota: Âmbar Rim, problemas: Nefrita, cristal de rocha
Daltonismo: Ametista Hemorragia: Calcedônia, crisópraso, hematita, cristal de rocha, safira Reumatismo: Âmbar, cornalina, malaquita
Dentes, dor: Água-marinha, malaquita Hemorróidas: Heliotrópio Sangue, doença de: Ametista
Dentes, extração: Âmbar Infecção: Âmbar, ametista, cornalina, sardônica Sangue, envenenamento: Cornalina
Depressão: Calcedônia, granada, lápis-lazúli Insônia: Ametista, jacinto, safira, topázio Sangramento: Calcedônia, crisópraso, hematita, cristal de rocha, safira
Diarréia: Cristal de rocha Intestinos: Olho-de-gato Tontura: Cristal de rocha
Dor: Rubi, sardônica Lactação, incentivo: Calcedônia, cristal de rocha, ágata, ágata branca Tuberculose: Pedra-da-lua
Embriaguez: Ametista Malária: Âmbar Úlcera: Ônix
Enterospasmo: Olho-de-gato Mau-olhado, prevenção: Âmbar, cornalina, olho-de-gato, olho-de-falcão, olho-de-tigre, turquesa Vertigem: Cristal de rocha


  O tratamento com cristais é muito simples, como tudo na natureza. Identifique o sintoma e o chacra correspondente. Aplique a pedra recomendada neste chacra, sempre acompanhada de um quartzo branco no chacra coronário. Consulte a página de chacras para melhor entendimento.
ENERGIZAÇÃO DAS PEDRAS: As pedras e os cristais, antes de serem aplicados nos chacras, devem ser energizados. Coloque-as num recipiente de vidro, com água e sal grosso, deixando-as três dias e três noites, no sol e sereno. Após, lave-as bem e estão prontas para cumprirem a sua missão. DURAÇÃO DE CADA SESSÃO: Entre 15 e 30 minutos. O AMBIENTE: Um local tranqüilo e arejado. Use incenso de vareta para purificá-lo.


Cromo-puntura na anemia

A Cromopuntura como Recurso Complementar no Tratamento da Anemia Ferropriva
Artigo elaborado baseado em partes do Trabalho de Conclusão de Curso, Autora do artigo: Profa. Larissa A. Bachir Polloni - CETN
Dentre as doenças do sangue, a anemia ferropriva é a anemia carencial mais freqüente na prática clínica, pediátrica e hematológica, sendo mais prevalente em associação com baixos padrões socioeconômicos, conforme demonstram diversos estudos. Estima-se que 40% das crianças abaixo dos quatro anos de idade são anêmicas.
A reconhecida relevância da anemia ocorre não somente por causa da magnitude de sua prevalência, mas pelas conseqüências observadas. Em crianças pode estar associada com o atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, com o comprometimento da imunidade celular e com a diminuição da capacidade intelectual/cognitiva.
Apesar das facilidades técnicas e dos custos relativamente baixos requeridos para a avaliação quantitativa do problema, ainda não se dispõe, na maioria das nações, inclusive no Brasil, de estudos efetivamente representativos sobre sua ocorrência, muito menos sobre o status populacional de ferro e sobre avaliação de implantação e impacto dos programas de controle.
Muito provavelmente tal desinteresse seria explicado pelo aparente consenso de que o problema estaria esgotado como tema de investigação. Admite-se, de uma forma um tanto arbitrária, que a grande maioria das anemias decorre simplesmente da carência primária de ferro. Esta avaliação simplificada teoricamente satisfaz a compreensão da situação etioepidemiológica das anemias e das diretrizes estratégicas universais recomendadas para seu controle, como o enriquecimento de alimentos com ferro e folato, na presunção de que estariam cobertas suas duas grandes vertentes etiológicas sob o ponto de vista de carência nutricional primária.
Com o intuito de aprimorar o olhar sobre essa doença, é que este estudo busca complementar, por meio de recursos da MTC, as possibilidades preventivas e de tratamento.
Para isso, tomou-se como público alvo crianças de baixo nível socioeconômico, freqüentadoras de uma instituição da cidade de Itu.
A MTC por ter uma visão mais holística pode ser muito eficaz também para identificar as possíveis causas da doença e agir nesse foco, prevenindo novas ocorrências e possibilitando maior qualidade de vida, podendo até mesmo agir sobre (ou prevenir) algumas reações adversas observadas pelo uso do sulfato ferroso em algumas pessoas, como: náuseas, dores abdominais, diarréia, reações alérgicas, entre outras.
No entanto, os recursos utilizados devem ser bem escolhidos, visto que necessitam ser aceitos pelas crianças que serão tratadas.
O método escolhido, portanto, foi a cromopuntura (tratamento que faz uso de cores específicas para alcançar seus objetivos) por ser barato, não invasivo e bem aceito pelo público em questão.
Para fins diagnósticos foram realizadas entrevistas com os pais ou responsáveis e observação clínica de sinais e sintomas, além de exames (hemograma) da medicina ocidental, uma vez que não é a intenção criar um método de tratamento substituto para os que se tem atualmente, e sim complementar. No entanto, o método foi aplicado em crianças que apresentam a doença em estágio inicial (leve) para que se pudesse melhor observar sua eficácia, sem a intervenção, ainda, do sulfato ferroso.
Metodologia: O local escolhido para a aplicação da pesquisa é denominado Lar André Luiz, uma instituição voltada para a atenção de crianças provenientes, em sua maioria, de famílias de baixa renda. Das crianças que realizaram os exames sanguíneos puderam-se identificar quais apresentavam a doença (anemia Ferropriva) na fase inicial e, com a permissão dos responsáveis, formaram o grupo que participou da pesquisa.
Entrevistas com esses cuidadores, juntamente às observações clínicas, mostraram o perfil (diagnóstico energético) do grupo, o que auxiliou na condução do tratamento e nas orientações que foram passadas posteriormente.
O tratamento consistiu na realização de cromopuntura, utilizando as cores laranja e vermelho que foram aplicadas em pontos específicos. Foi realizado três vezes na semana durante o período de três meses.
No início, após a aplicação da cromopuntura foi afixado nas crianças o feno grego nos pontos determinados, visando uma potencialização do tratamento.
Os pontos utilizados foram: B17, B20, BP6, BP10, F8, VB39, E36
As cores utilizadas nos pontos foram: vermelho e laranja, um minuto em cada, uma vez por semana.
Passado o período de tratamento, novas coletas de sangue foram realizadas para avaliação da eficácia da proposta.
Os pais/responsáveis receberam orientações referentes aos cuidados que devem ter com cada criança especificamente e os coordenadores da creche receberam uma devolutiva sobre a pesquisa.
Das vinte nove crianças atendidas, dezenove foram autorizadas pelos pais/responsáveis a realizarem o exame para fins diagnósticos. Apenas cinco apresentavam a doença na fase inicial.
Cabe aqui apresentar os valores que caracterizam a doença como fase inicial. No hemograma completo é verificada a quantidade de hemoglobina (Hb) encontrada em um decilitro (100 ml) de sangue total o que serve para medir a gravidade da anemia e monitorar a resposta à terapia. Os valores considerados normais para a faixa etária do estudo são 12 a 16 g/dl, portanto valores um pouco abaixo desses pode indicar uma anemia que se inicia.
O uso da cromopuntura foi bem aceito pelo grupo investigado e até pelas outras crianças da instituição que ao verem os colegas sendo tratados pediam para participarem também. Já o uso do feno grego, que seria afixado nos pontos escolhidos para potencializar o tratamento da anemia, não obteve o mesmo sucesso. As crianças mostraram-se incomodadas e relatavam dor ao retirar o esparadrapo que o afixava, por isso foi suspenso da pesquisa.
Apesar da boa aceitação por parte dos responsáveis, a maioria não se mostrou ativa no tratamento dos filhos.
Findo o período estabelecido para o tratamento, nova coleta de sangue foi realizada para avaliação do método escolhido.
Resultados: Após o tratamento realizado e após a nova coleta de sangue observou-se os seguintes dados:

Lembrando que os valores de hemoglobina considerados normais são de 12 a 16g/dl nota-se uma melhora final dos valores dessas células em todas as crianças. Uma conseguiu chegar ao valor tido como ideal (2) e outras três chegaram perto (3, 4 e 5). Apenas uma (1), apesar do discreto aumento do nível de hemoglobina, ainda ficou bem abaixo do esperado.
Ao final do tratamento as crianças mostraram-se mais expressivas, com uma discreta melhora do tônus muscular e da comunicação, estavam mais participativas, atentas e animadas. Em algumas o chiado do peito manteve-se, porém em todas os diagnósticos das línguas continuaram os mesmos.
As crianças cujos exames permaneceram alterados foram encaminhadas ao pediatra para continuidade de tratamento e supostamente para a ingestão do sulfato ferroso.
Na devolutiva para a creche, que aceitou bem o tratamento proposto, a coordenação relatou que percebeu a melhora no comportamento do grupo tratado.
Conclusão: A Cromopuntura mostrou-se um eficiente recurso da MTC para o tratamento da anemia ferropriva. O uso das cores foi bem aceito pelas crianças do grupo de pesquisa e despertou a curiosidade das demais crianças da creche que também queriam ser tratadas. Esse método não é invasivo e demanda o tempo suficiente para manter a criança entretida e comprometida com seus cuidados. Conforme os resultados obtidos, talvez seja melhor indicado como complementar ao tratamento tradicional, uma vez que necessita ser realizado por no mínimo três meses para se observar o surgimento de mudanças, o que exige disciplina dos pais/responsáveis para mantê-lo até o final. Em casos onde a anemia apresenta-se em estágios mais avançados não deve ser recomendado como única forma de tratamento

terça-feira, 2 de abril de 2013

Bastão Cromático



 O Bastão Cromático é uma combinação do Bastão Atlante, Cromoterapia e Cristal de Vogel, em um único aparelho para o uso terapêutico. O Bastão, remonta das origens de uma civilização (Atlântida) que existiu antes do nascimento dos egípcios, babilônicos, gregos e outras. Essa civilização utilizava-se amplamente da fonte de energia que provinha dos cristais e metais. Uma grande combinação desses elementos foi, sem dúvida, os bastões, nas suas mais diversas variações. O Bastão é um dispositivo radiônico, cuja função é acumular, ampliar e emitir energia. É confeccionado a partir de um tubo oco de cobre (sendo o cobre um excelente transmissor de energia), 8 lentes coloridas (em acrílico) - que direcionam as energias para o objetivo específico - e um cristal de quartzo límpido que, por sintonia projetada pela mente humana, direcionada a energia armazenada no tubo. Possui duas (2) aberturas para inserção simultânea das lentes, podendo originar um matiz diferente.
O Cristal de Vogel: Vogel, cientista da NASA que, estudando os valores potenciais dos cristais, percebeu que, lapidando o cristal em doze (12) lados simétricos, ele amplifica e acelera o princípio ativo da pedra. Essa experiência é semelhante ao cano pelo qual passa uma pressão de água muito forte, fazendo com que a água se projete a longa distância.
Cromoterapia: é a terapêutica que utiliza as diversas freqüências da luz (cores) para equilibrar corpo, mente e espírito.
Aplicação
* Botânica: energização de semente, obtendo-se melhor desenvolvimento.
* Cura: auxilio em fisioterapia, energização de chakras.
* Atua na destruição de energias negativas e intrusas, desenvolvendo a intuição.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Óleos Essenciais




Os óleos essenciais são compostos por ingredientes activos de determinadas plantas aromáticas com alto teor concentração. Esta concentração pura são consideradas a alma da planta. Os óleos essenciais são a matéria-prima da Aromoterapia. Existe diversas formas de utilizar estas essências e as suas propriedades terapêuticas: ajudam a combater as insónias, a ansiedade, cansaço mental, relaxamento muscular, estimulação circulatório e ajudam a combater problemas respiratórios como a asma, bronquite, entre muito outros exemplos.



                                         
Como usar os óleos essenciais
 
DENTRE AS INÚMERAS UTILIZAÇÕES DOS ÓLEOS ESSENCIAIS, DESTACAREMOS AQUI AS SEGUINTES:
Óleos essenciais nos cuidados com a pele
TÔNICO:
10 ml de óleo vegetal de SEMENTE DE UVA6 gotas de óleo essencial de ALECRIM2 gotas de óleo essencial de LEMONGRASS
REGENERADOR:
10 ml de óleo vegetal de GÉRMEN DE TRIGO4 gotas de óleo essencial de ALECRIM4 gotas de óleo essencial de LAVANDA
DEPURATIVO:
10 ml de óleo vegetal de ABACATE3 gotas de óleo essencial de MELALEUCA3 gotas de óleo essencial de LARANJA
PREPARO:Misturar o óleo essencial no óleo vegetal e aplicar como hidratante para o corpo após o banho.
Tratamento: Aplicar 1 vez ao dia
Óleos essenciais e seu no cuidado com os cabelos ecouro cabeludo
QUEDA:
5 ml de óleo vegetal de ABACATE4 gotas de Óleo Essencial de ALECRIM
RESSECADOS:
5 ml de óleo vegetal de ABACATE3 gotas de Óleo Essencial de YLANG-YLANG1 gota de Óleo Essencial de ALECRIM
OLEOSOS:
5 ml de óleo vegetal de ABACATE3 gotas de Óleo Essencial de MELALEUCA1 gota de Óleo Essencial de LAVANDA
PREPARO:Misturar os óleos essenciais no óleo vegetal;
aplicar massageando os óleos no couro cabeludo;espalhar a sobra pelos cabelos massageando os fios;deixar agir por 10 minutos e lavar com o shampoo de sua preferência.
TRATAMENTO:Cinco dias consecutivos e depois utilizar em dias alternadosaté o desaparecimento dos sintomas.
Óleos essenciais e o cuidado com os pés
CALOS:
1 gota de óleo essencial de MELALEUCAOU1 gota de óleo essencial de LAVANDA
TRATAMENTO: Aplicar puro 3 vezes ao dia
PÉ RESSECADO:
5 ml de óleo vegetal de GÉRMEN DE TRIGO4 gotas de óleo essencial de YLANG-YLANG
PREPARO:Misturar o óleo essencial do óleo vegetal e aplicar uma vez ao dia
ODORES:
1 gota de óleo essencial de MELALEUCA
PREPARO:Aplicar dentro do sapato 2 vezes por semana
CANSAÇO NOS PÉS
5 gotas de óleo essencial de ALECRIM3 gotas de óleo essencial de LEMONGRASS1 colher de sopa de sal grosso
PREPARO:Escalda-pés, misturar bem o óleo essencial no sal grosso e diluir em uma bacia com agua quente;fazer o escalda-pés por 15 minutos.
Óleos essenciais como repelente de insetos
AMBIENTE:10 gotas de óleo essencial de CITRONELLA no Difusor
CORPO:10 ml de óleo vegetal de SEMENTE DE UVA8 gotas de óleo essencial de CITRONELLA
PREPARO:Misturar o óleo essencial no óleo vegetal e aplicar nas áreas expostas.Utilizar sempre que necessário.OBS.: Evitar exposição ao sol por 1 hora.
Como usar os óleos essenciais?
Há vários modos de seu usar óleos essenciais: massagens, banho de imersão, compressas, inalações, escalda-pés… Veja algumas dicas de como usar os óleos:

Massagem
Escolha o óleo vegetal BioEssência de acordo com seu tipo de pele, e até 3 óleos essenciais de acordo com a finalidade desejada.

Para 30 ml (3 colheres de sopa) de óleo vegetal, que é o suficiente para aplicação no corpo todo, adicionar até 20 gotas de óleo essencial.

Se preferir pingue os óleos essenciais diretamente no frasco da base vegetal ou loção (120 ml) adicionar até 60 gotas de óleo essencial.

Banho de Imersão (Banheiras) Num recipiente diluir os óleos essenciais em óleos vegetais de sua preferência ou álcool de cereais:

1 colher (sopa) de óleo vegetal BioEssência ou de álcool, adicionar de 5 a 10 gotas de óleo essencial. Pode-se misturar até 3 tipos de óleos essenciais.

Compressas
Pingar de 5 a 6 gotas de óleo essencial em1 litro de água quente ou fria dependendo do caso.

Inalações Colocar de 3 a 5 gotas de óleo essencial em um recipiente com água quente, cobrir a cabeça com uma toalha e fechar ou proteger os olhos com uma máscara apropriada. Inalar o vapor por alguns minutos.

Aromatização Ambiental
Aromatizadores elétricos, “Rechauds” cerâmico com vela ou Sprays ambientais. Par um ambiente de 20 m2 coloque um pouco de água e pingue de 10 a 20 gotas de um mesmo óleo essencial ou até 3 no total.

Spray ambiental (ou para passar roupa)
No Spray (use por exemplo um pulverizador de plantas) coloque 3 colheres de sopa de álcool (se tiver de cereais melhor) ou vodka, para diluir e adicione até 120 gotas dos óleos essenciais desejados e complete com água, agitar muito bem antes de usar.

Banho de Chuveiro Uma maneira simples e eficiente é pingar até 5 gotas do óleo essencial no canto do box do chuveiro e inalar durante o banho.

3 gotas em 1 colher de sopa de óleo vegetal e distribuir por todo o corpo através de auto massagem.

Enxague final do banho, em um recipiente pingar ate 5 gotas de óleo essencial que não irritam a pele, completar com água do chuveiro e jogar no corpo.

Escalda-Pés Diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher (chá) de óleo vegetal ou álcool de cereais.

Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.




SAIBA COMO COMBINAR OS ÓLEOS ESSENCIAIS PARA SE BENEFICIAR DE TODAS SUAS PROPRIEDADES.

Massagem - misture 4 gotas de óleo essencial de lavanda, 3 gotas de menta e 3 gotas de camomila e 3 gotas de alecrim. O efeito é refrescante e estimulante.
Banho de imersão - na água da banheira ou do ofurô, coloque 10 gotas de óleo essencial de camomila, 6 gotas de alecrim e 2 colheres (sopa) de leite integral. Bom para relaxar, mas sem perder o pique




INCENSOS



Há anos, o incenso vem sendo utilizado pelas diversas crenças, religiões e mesmo pessoas descompromissadas com qualquer tipo de credo

Os antigos, extremamente cautelosos e minuciosos em relação ao preparo de seus rituais, e, é claro, do ambiente em que realizavam estes rituais, escolhiam os incensos mais apropriados para aquilo que desejavam e esperavam alcançar.

O uso dos incensos se propagou pelo tempo, tornando-se um importante instrumento universal de meditação, purificação, proteção, não sendo errado acreditar em algumas afirmações encontradas em livros, sites e crendices, tais como:

I. Os incensos, uma vez utilizados de maneira correta, criam uma atmosfera no ambiente, de energia, equilíbrio e harmonia, que ajudam o ser humano a sintonizar mais facilmente com os planos superiores;

II. Associa o homem à divindade, o finito ao infinito. Alguns, ainda, afirmam que os incensos possuem a incumbência de levar a prece para o céu.

III. O incenso está relacionado ao elemento ar e representam a percepção da consciência que, no ar, está presente em toda parte.

De fato, estas são apenas algumas das inúmeras afirmações devotadas a este“santo remédio”, se assim podemos chamá-lo.

Os Incensos são misturas de ervas, aromas, ou seja, misturas de componentes alquímicos que possuem a função básica de elevar espiritualmente, tanto o ambiente como o próprio ser, servindo como agente mediúnico das intenções humanas ao Astral.

Para manipular corretamente o incenso, devemos tomar certos cuidados tais como:

a) Acender o incenso sempre com uma intenção clara, podendo ser um puro agradecimento, prece, meditação ou o que mais tiver em mente;

b) Nunca devemos apagar o incenso com sopros;

c) Tentar sempre escolher a fragrância ou mistura conciliando com o que buscamos.

Alguns escritores descrevem a fumaça como sendo o, abstratamente, a transmutação da matéria em espírito , ou seja carvão com o aroma, respectivamente. Talvez isto explique o porque da necessidade de se ter uma intenção.

TIPOS, FORMAS E FRAGRÂNCIAS

Hoje em dia, são muitas as marcas, tipos, formas e fragrâncias encontradas.

No mercado hoje, encontramos incensos de marcas nacionais ou importadas, que duram de 15 minutos, ½ hora e até uma hora.

Na Índia, por exemplo, existe um tipo de incenso que sua duração chega até 6 horas, com uma fragrância muito suave que serve para serem utilizadas nos rituais nos templos. Esta longa duração é para a fragrância elevar as orações o tempo todo enquanto o ritual durar. em

Podemos ainda encontrar incensos nas formas de varetas, cones, espirais, pó, ervas, resinas e as fragrâncias são as mais variadas possíveis.

Quanto às fragrâncias, precisamos entender que apesar de existem milhares delas, precisamos encontrar aquela que corresponde com nossa intenção.

Por exemplo, se sua intenção é conectar-se com as energias cósmicas, a fragrância indicada será a âmbar. Já ,se a intenção é de se sentir feliz, com alegria de viver, a indicada será a canela, e por aí vai.

Faça Incenso Você Mesmo

Começando a fazer Incensos:

Incensos incandescentes fazem um grande sentido. É um natural, não-tóxico, ar refrescante que serve como uma alternativa maravilhosa aos aerossóis de hoje. E tem um grande passado: pessoas os vêem usando a milhares de anos e para todos os tipos de razões.

Incenso é basicamente uma mistura de ervas, madeiras e resinas que podem ser polvilhadas e então podem ser queimadas lentamente para a obtenção de um efeito fragrante. Culturas antigas os acendiam para cerimônias e adoração. Os chineses e japoneses já o usavam como uma medida de tempo, e hoje é usado em rituais religiosos por todo o mundo. Mas o principal de tudo é que eles têm um cheiro ótimo.

Nós mostraremos para você como conseguir e preparar os ingredientes necessários para fazer incenso. Inclusive receitas prontas de aromas. Isso serve até você experimentar e criar suas próprias fragrâncias.

Há dois tipos de incenso, combustível e não-combustível. Incenso combustível entra em cone, bloco ou forma de vara, e é com o qual a maioria das pessoas está familiarizada. Incensos não-combustíveis são queimados em um pedaço de carvão .

Nós discutiremos ambos os tipos, com um foco em incenso de combustível (que leva alguns passos a mais, mas vale bem o esforço já que é tão fácil usar). A tarefa pode parecer difícil na primeira vez, mas quanto mais você pratica, mais fácil é fazer.

Colecione seus ingredientes

Você pode achar a maioria dos ingredientes de incenso em sua cozinha ou jardim.

Outros estão disponíveis em lojas de erva, drogarias, lojas de provisão religiosas, comida, banho (Confira as páginas amarelas debaixo de “incenso”para fornecedores locais.)

Os mais populares incluem:

Madeiras; Resinas e Ervas Líquidos: Cedro, Pinho, Zimbro, Sândalo Benjoim, Mirra, Raiz de íris, Canela, Tomilho ou Goma Arábica (para moldar incenso combustível) Óleos essenciais. Um líquido como mel, seiva ou algo semelhante

Os ingredientes exatos que você precisará dependerão de sua receita. A maioria das receitas inclui um tipo de madeira, uma resina, ervas fragrantes e um líquido. Caso você queira fazer incenso combustível, sua receita precisa incluir goma arábica que é usada para moldar o incenso em formas específicas.

Compre duas onças pelo menos (pulverizado) de cada ingrediente seco. Se lembre de que madeira é freqüentemente usada e na quantidade maior. Tente juntar tantos ingredientes pré-pulverizados quanto você pode, poupa-se tempo e esforço.

À parte dos ingredientes de receita, você precisará de algum salitre (para acender o incenso; peça isto em drogarias) e alguns tabletes de carvão (disponíveis onde incensos são vendidos; não use carvão de churrasco para isto).

Uma vez que você conseguiu tudo, moa cada artigo seco (menos o carvão) isso será esmagado com um morteiro, um pilão e um amolador de café elétrico até virar um pó . Madeiras e algumas resinas não viram pó tão facilmente quanto outros, mas se você persistir você conseguirá. Considere usar moedor elétrico para estes artigos, então os termine com o morteiro e o pilão (eles demolirão mas não polvilharão completamente no amolador). Use uma faca para cortar pedaços de talo e raiz se necessário. Uma vez pulverizado, mantenha tudo firmemente marcado e rotulado em sacolas plásticas ou jarros.

Misture os ingredientes não-combustíveis

Incensos não-combustíveis são basicamente uma mistura de ervas em pó, resinas e madeiras que podem ser queimados em tabletes de carvão ou podem ser mexidos dentro como a fragrância para uma mistura combustível.

Para criar uma mistura de incenso não-combustível, tente um destas receitas:

1)Combine partes iguais de olíbano pulverizado, canela, e noz moscada.

2)Combine uma parte cada de nós moscada e canela, e ½ parte de casca de laranja e casca de limão. Tente fabricar suas próprias receitas, veja Passo 7.

Em uma tigela grande, misture uma quantia pequena dos ingredientes juntos para sua receita escolhida. Depois você sempre pode somar mais coisas. Uma vez que tudo esteja combinado, a mistura de seu incenso está completa. Você pode saltar para o Passo 7 se você não quiser fazer incenso combustível. Caso contrário, está na hora de fazer a pasta.

Faça a pasta

Goma arábica é usada para moldar sua mistura em varetas, cones, ou blocos. Aqui será mostrado como fazê-los em uma pasta de modelar.

Coloque uma colher de sopa ou da goma em pó em uma tigela média e encha oito conchas de água morna. Bata até a goma estar completamente dissolvida (isto levará alguns minutos), tirando qualquer espuma que desenvolve.

Deixe a goma dissolvida absorver a água até ficar grossa.

Cubra a tigela com um pano molhado e ponha de lado como se estivesse crescendo. O processo de engrossando levará umas duas horas pelo menos. Você pode misturar mais goma ou pode molhar para ajustar consistência como o necessário.

Faça a base do incenso combustível

A receita seguinte resultará em uma básica mistura combustível de incenso. Se uma parte equivale a uma colher de sopa, você terminará com bastante mistura de incenso para criar aproximadamente 60-80 cones pequenos.

6 partes de madeira pulverizada (cedro, pinho, etc.)

Duas partes de benjoim

Uma grande parte de raiz

Algumas gotas de óleo essencial ou outro líquido como vinho, mel, etc.

Três a cinco partes de incenso não-combustível misturado

Em uma tigela grande, misture todos os ingredientes juntos na ordem dada. Pese a mistura combinada com uma balança de cozinha.

Determine 10% do peso total, e adicione exatamente a quantidade de salitre. (Então, se a mistura pesar dez gramas, adicione um grama de salitre.) Esta medida deve ser exata para que o incenso possa queimar corretamente. Misture completamente no salitre.

Adicione a pasta, uma colher de chá de cada vez, até tomar consistência. Deve ser uma massa, não muita molhada, mas úmida o suficiente para que você possa moldar com suas mãos.

Nota: Quando se cria o incenso combustível, a relação das madeiras pulverizadas deve ser de dois para um. Sua resina (benjoim, olíbano, mirra, colas, seivas, etc.) não se deve nunca compor mais que 1/3 da mistura final.

Molde à mistura na forma desejada

Quando sua mistura alcançar a consistência desejada (novamente, semelhante à massa), estará pronta para ser moldada em formas. Cones e blocos são os mais fáceis de moldar. As varetas são muito mais difíceis, especialmente se você não tem uma prensa especial (que vende em lojas de arte). Tente os cones e blocos primeiro. Então quando você descobrir que você é um perito, passe para as varetas.

Cones: Enrole a mistura de incenso em bolas pequenas, os amolde com suas mãos em cones longos de 25mm. Organize-os na vertical em uma folha de papel manteiga e os coloque em algum lugar quente para secar. Eles levarão de três a sete dias para secar. Durante este tempo, os vire regularmente, assim eles secam uniformemente e não racham.

Blocos: Molde os incensos em forma de tiras longas aproximadamente 1/3 de uma polegada em altura e largura, e então corte as tiras em retângulos longos de 1 polegada. Use o mesmo processo secante como você usou nos cones (porém os blocos podem ficar na horizontal)..

Varetas: Adicione mais pasta à mistura até que esteja molhada, porém espessa. Se você não tem uma prensa especial (altamente recomendada), bata levemente a massa em papel manteiga até que esteja bem fina; então posicione uma vareta por vez sobre a massa e enrole um pano fino ao redor da vareta (deixando algumas polegadas sem o pano) até que a camada seja duas vezes a espessura da vareta (não mais espesso). Aperte ou pressione a massa sobre a vareta para firmar. Coloque a parte sem pano em alguma argila, areia ou outra substância que permita que fique na vertical para secar.

Queime-o

Para queimar cones, blocos, ou varetas, coloque-os um de cada vez em um queimador de incenso ou em uma tigela meio cheia de areia ou sal. (Para instruções em como queimar incensos não combustíveis, pule para o Passo
Ilumine uma ponta (para cones, coloque-os virados e ilumine a ponta final) com um fósforo ou um isqueiro, segurando a chama contra a extremidade do incenso até o incenso pegar fogo. Deixe a chama queimar durante alguns segundos, então assopre com suavidade.

A extremidade final do incenso irá incandescer e começará a soltar o seu aroma (e uma pequena quantidade de fumaça contínua). Cada cone, bloco ou vareta queimará durante aproximadamente 10 a 25 minutos.

Após o incenso estiver aceso, o ar ao redor parecerá o perfume celeste.

Experimente com suas próprias receitas

Você pode criar suas próprias receitas não-combustíveis e usar tabletes de carvão como um guia para testar o aroma.

Para acender o carvão, segure-o com uma pinça ou alicate sobre uma vela acesa (sairá faíscas primeiramente, então tome cuidado) até aparecer uma mancha branca. Você também pode soprar para ver se acende. Coloque o pequeno carvão em uma tigela ou concha grande (que esteja cheia até a metade com areia ou sal). Espere até que está queimando uniformemente e que não esteja mais crepitando antes de colocar algum ingrediente nele.

Espalhe uma pequena quantia de cada erva, madeira ou óleo no tablete aceso para testar o aroma. Tome notas do que você gosta e do que funciona bem junto. Muitas coisas irão cheirar diferente enquanto estiverem queimando do que quando não estiverem.





EQUILIBRIO ENÉRGETICO


                                                         


A sociedade hoje em dia busca por métodos milagrosos de cura, se entopem de remédios, antibióticos, antiácidos, anti-não-sei-o-quê, e se esquecem de procurar na suas vizinhas mais próximas:

A NATUREZA E O INTERIOR.

 Nessa postagem procuro mostrar diversas técnicas de equilíbrio da energia que está em nós, em nossa volta, pulsa a partir de nós. Algumas dessas técnicas você já deve ter esbarrado por aí, mas procurei pesquisar coisas novas, englobando também Holismo à Magia Natural. Listei também técnicas de manutenção e trabalho energético. Com a maestria dessas técnicas e exercícios, você poderá facilmente assimilar, expandir e manipular sua energia pessoal. É essencial que você trabalhe sempre essas energias que residem em seu corpo, na Natureza, em tudo e em todos. Transforme o equilíbrio energético numa forma de terapia. Lembre-se do que Einstein disse um dia:“Somos energia condensada”.E aqui tem lugar pra todos!!!Quem lida ou possui conhecimento de Bruxaria poderá fazer uso das poções e de encantamentos para ampliar e equilibrar a energia pessoal. Faça bom uso dessas dicas.

Técnicas para Reequilíbrio

São muitas as formas de reequilibrar as energias tanto fora quanto dentro de nós. Lembre-se que você também pode criar as técnicas para você, eu encorajo esse pensamento, pois nem todos nos adaptamos com aquilo que vemos em algum lugar. Cada um tem seu cada um. Abaixo, criei uma lista com técnicas que eu pratico e atestadamente reequilibram a energia pessoal. Algumas delas vi de alguns livros (que eu nem sei mais o nome), mas todas são muito úteis.Incorpore-as ao seu dia-a-dia e veja prodígios acontecerem!!

>Respirar bem;
>Rir constantemente;
>Andar em locais com muito verde;fazer trilhas;escalada (respirar ar puro);
>Pisar na terra descalço;
>respirar o ar da madrugada;
>Lidar com alguma forma de expressão artística,corporal ou emocional (canto,dança,pintura,teatro...)
>Praticar ato sexual (com moderação);
>Praticar exercícios físicos;
>Praticar exercícios mágicos (meditações, visualizações, etc.) e espirituais;
>Praticar exercícios e atividades que estimulem a adrenalina (equilibram grandemente a energia vibratória do corpo e são muito bons);

Ervas e Aromas

As ervas e aromas são ingredientes muito importantes no reequilíbrio energético. A Natureza sempre consegue trabalhar harmoniosamente com o homem em matéria de cura e equilíbrio. As ervas e aromas com propriedades reequilibrantes de energia descritas aqui podem ser usadas na forma de óleos essenciais, emplastros, chás, poções, banhos de ervas (falarei +tarde) e perfumes. Lembre-se de que seus atributos são sutis. Não basta cheirar uma erva ou flor e ter sua aura magicamente limpa. Atente às capacidades das ervas abaixo:

Sálvia: cura e restaura todo o campo energético
Bálsamo: libera emoções represadas pela falta de expressão
Cipreste, chicória e madressilva: transformam e reciclam toda a energia.
Bergamota, laranja e limão: intensificam e refrescam a energia do indivíduo.
Guiné: Um ‘antigripal’ da aura humana
Manjericão: Ingerir uma folha do manjericão em jejum ajuda na limpeza e o equilíbrio dos chacras.
Açafrão, orquídea, baunilha e gengibre: ligadas à energia sexual, inibem a impotência.
Cebola: amplia o campo energético
Cravo: concentra a energia e aumenta a força espiritual
Camomila: acalma e ‘paralisa’ as energias (não quer dizer que ela faça a energia parar)
Alfazema: excelente reequilibrante energético
Eucalipto: renovador de energias
Babosa: libera as energias e permite o pensar, ótimo para desfazer ligações energéticas entre pessoas.

Banhos

Os banhos podem ser excelentes ‘agentes’ reequilibradores. Os banhos agem diretamente no campo energético, reequilibrando assim nossa energia física espiritual. Recomenda-se o banho de ervas com freqüência, pois assim o indivíduo fica livre e se limpa das energias densas enviadas por pessoas e locais durante o dia-a-dia.
O BANHO DE LUA (banho feito com a luz da lua) pode ser feito para obter clarividência, exteriorizar emoções,receptividade,compreensão do Eu e atração de um amor (sobretudo o ‘banho de lua cheia’).
O BANHO DE SOL pode ser feito para obter brilho pessoal, desenvolvimento do poder interior (da ‘chama’ interior),liderança,atração (magnetismo pessoal) e prosperar.
O BANHO DE TERRA é algo mais incomum. Ele deve ser feito indo pra um lugar ao ar livre,um parque.Então você tira os sapatos e,mesmo de roupa,deita e rola no chão.Esse banho traz à tona nossa ‘criança interior’ e nos traz estabilidade em quase todos os sentidos (principalmente no emocional),além de equilibrar enormemente nossa energia.
DE ÁGUA, os mais reconhecidamente poderosos para o equilíbrio energético são o de cachoeira (um banho de cachoeira pode nos ‘ensinar’ à ter domínio sobre nossas emoções e sentimentos) e de água do mar (limpa energeticamente toda a aura).O banho de água gelada ao extremo (ou bem quente) também recupera nossa energia e alivia nossas tensões do dia-a-dia.
Pertence ao conhecimento popular que o banho de sal grosso limpa a aura livrando de cascas astrais e sujeiras ‘psíquicas’. Está correto.
O banho de sal grosso combinado com ervas de proteção então fica muito mais poderoso-são elas: a arruda, o guiné e o pau d’alho. Algumas pessoas não tomam banho de imersão no sal grosso,coma crença de que ele afeta o chacra da coroa,e estão corretas.O sal grosso no chacra da coroa vai desfazer a proteção energética natural no indivíduo e vai deixá-lo totalmente desprotegido. Na Tradição Gardneriana da Wicca, o banho ritualístico de limpeza é feito com a imersão em água com sal grosso. A meu ver, o banho ritualístico de limpeza fica muito mais poderoso se feito com a água do mar.
Também temos os famosos ‘banhos de purificação’ que, ao investigarmos, não passam de simples variantes dos banhos de limpeza tradicionais (há alguma diferença?).Os principais (que eu já conheço,e muito bons) são os banhos feitos com óleo de gerânio,alecrim do mato,sálvia,menta,óleo de rosas e pétalas de rosa branca.Se desejar,crie sua própria seleção de ‘banhos’ de energia.

VISUALIZAÇÃO PARA EQUILÍBRIO ENERGÉTICO

Essa prática pode ser feita sentando-se em uma cadeira e esticando as pernas ficando na posição mais reta possível, mas a posição em que se verificou maiores resultados foi deitado.
Estando em uma das duas posições, acomode-se confortavelmente e relaxe o corpo e a mente. Imagine que do seu umbigo para baixo, seu corpo todo se transforma em água corrente, que vai descendo com um rio de águas limpas e brilhantes. Mantenha durante algum tempo.
Depois, imagine que do seu umbigo para cima, tudo está em chamas, pegando fogo, como se você fosse uma tocha ardente. E mantenha durante alguns minutos.
Essa prática pode colocar em um estado de sonolência e causar o relaxamento total.



TÉCNICA DO ESTADO VIBRACIONAL

Esta é uma das técnicas mais recomendadas, tanto para iniciantes quanto para pessoas experientes em energia.
Esta técnica promove a Abertura dos chacras, limpeza da aura a defesas energéticas em geral, para energicamente um processo de obsessão, etc.
Esta técnica deve ser praticada cerca de 20 vezes por dia, todos os dias, com vontade inquebrantável, em todos o lugares possíveis. Umas das características desta técnica e que ela pode ser praticada em qualquer local, no escritório, em casa, no ônibus, no metro, sentado, em pe, deitado, etc.
Faça com que a energia comece a concentrar-se no alto da cabeça, ou visualize uma massa de energia (de qualquer cor, desde que claras e brilhantes) se formando no alto da cabeça, em seguida faca com que essa massa de energia comece a descer, percorrendo todo o seu corpo, chegando ate os pés. Faca então com que a energia suba novamente ate o topo da cabeça.
Continue este processo, acelerando cada vez mais este processo, mas com naturalidade. Depois de um tempo e com a devida aceleração, o praticante começa a sentir as vibrações percorrendo todo o seu corpo. Mantenha-se então nesse estado durante o maximo de tempo possível.
No inicio e muito comum que o praticante não sinta nada, pois as sensações tornam-se mais freqüente depois de certo tempo de pratica. Mas o menor esforço, cada vez que for feita, trará benefícios ao praticante, mesmo que imperceptíveis.

 

terça-feira, 26 de março de 2013

Cromoterapia

Cromoterapia é a prática da utilização das cores na cura de doenças. Vem sendo utilizada pelo homem desde as antigas civilizações — como Egito antigo, Índia, Grécia e China — com o objetivo de harmonizar o corpo, atuando do nível físico aos mais sutis. Na aromaterapia são utilizados óleos essenciais extremamente concentrados, que possuem princípios ativos de acordo com suas composições químicas. Os óleos essenciais são usados diluídos em veículos carreadores sobre a pele, através de cremes e aplicados em forma de massagens.

Dependendo da forma de uso provocará efeitos físicos, mentais e emocionais, alterando a respiração, os batimentos cardíacos, pressão arterial, estados de ânimo, concentração, etc.



cada caso:

Sessão ENERGIZANTE: Para combater os sintomas de depressão, estimular a memória, proporcionar vitalidade, combater cansaço extremo e estimular o apetite. A massagem é realizada com movimentos mais vigorosos, disrítmicos e estimulantes do início ao fim. Aromas utilizados:Laranja e Almíscar.Cromoterapia:Luz Amarela
.
Sessão ANALGÉSICA:Indicada para dores em geral, principalmente dores musculares como tensões na região dos ombros, dores de cabeça e articulares.A massagem é realizada com movimentos rítmicos e precisos no corpo inteiro, principalmente nos locais de dor e pontos gatilho de tensões musculares. Aromas utilizados:Hortelã e Alecrim. Cromoterapia:Luz Verde.